Snow Patrol Brasil » entrevistas
set,
28
2009
Entrevista de Gary para a BBC Radio1

Bate-papo de Gary com o DJ Zane Lowe no dia da primeira execução de “Just Say Yes”.
Ouça online [a partir de 12:40 min, mais ou menos] ou veja o vídeo com áudio e legenda em português [inclusive tradução da música] a seguir:

Leia mais

set,
23
2009
Entrevista no V Festival

Reupei a entrevista que o Gary deu no V Festival, dessa vez com uma legenda que dá pra ler. 😉

set,
22
2009
Entrevista de Gary na XFM

Gary Lightbody deu uma entrevista à rádio londrina XFM na semana passada e falou sobre “Just Say Yes”, “Up to Now”, fazer turnê com o U2, e substituir o Oasis no V Festival, que acabou sendo o que ele declarou como “o melhor momento da carreira ao vivo” da banda.
Ouça a entrevista aqui, ou veja, em vídeo, o áudio com legenda em português a seguir:

Leia mais

set,
14
2009
Quais as novidades do Snow Patrol? Várias!

Gary LightbodyDepois de perseguir o sucesso por 10 anos, a banda britânica Snow Patrol finalmente encontrou a notoriedade com a balada “Chasing Cars”. O cantor e guitarristas Gary Lightbody chama isso de lição de humildade.
“Começamos em 94 e só em 2004 tivemos um hit,” diz Lightbody numa entrevista pro The Flint Journal. “Você não espera nada, na verdade. No mínimo, você aprende humildade, com certeza. Não acho que tenha sido alguém esperado. É claro, a gravadora nos disse que, na opinião deles, seria um grande sucesso. Mas nunca botamos a carroça na frente dos bois.”

Leia mais

set,
8
2009
Entrevista com Nathan

Nathan ConnollyEntrevista com Nathan Connolly para o Muzika.hr, site croata sobre música. Foi traduzido para o inglês pela usuária do Fórum do SP.com Anastazija. Ou seja, se em algum momento a entrevista parecer meio vaga ou sem sentido, é porque ela foi do croata para inglês e daí pro português. =~

O jovem irlandês Nathan Connolly, guitarrista do Snow Patrol, deu sua modesta opinião sobre os iminentes shows em Zagreb, abrindo para o U2. Ele falou ainda sobre Star Wars e a necessidade de sucesso na América.

Achamos na internet diversas fontes de notícias sem confirmação que você não estava muito confortável em entrar para a banda no início, assim como você questionou sua decisão de entrar pro Snow Patrol. Isso é verdade?
Ah, não, não é verdade. Não hesitei mesmo. Pelo contrário, fiquei muito feliz e animado. Alguém obviamente entendeu algo errado e passou a informação errônea adiante.

Você entrou para a banda logo antes de Final Straw ser gravado – o álbum que estabeleceu a banda na cena do rock mundial, conquistando grande sucesso. O quanto você contribuiu para isso?
O álbum havia sido escrito quase um ano antes de eu chegar. Havia alguns esboços e idéias, e ainda algumas gravações prévias, mas como desde cedo desenvolvemos um bom relacionamento, foi muito fácil começar a escrever e adicionar minhas próprias idéias ao processo criativo. Isso vale principalmente para performances ao vivo, onde eu podia tocar minha parte do jeito que eu quisesse. Mas só no último álbum que participei totalmente da composição. Entretanto, ainda é uma experiência nova pra mim.

Leia mais

set,
5
2009
Entrevista com o Gary

Gary LightbodyGary fala com Vanita Salisbury sobre alcoolismo, intimidade, superstição, Michael Jackson e mais.
[Entrevista meio antiguinha, de 28 de dezembro de 2008, mas não tem nada datado. Tá bem atual e interessante.]

O bar no subsolo no Bowery Ballroom estava deserto na 2ª feira passada, com exceção de uma cabine de uma estação de rádio, um bartender, e a pessoas responsável pela lista de convidados. Todas as atenções estavam voltadas para o andar de cima – na lateral no palco, em frestas e se apinhando nas entradas para o show esgotado do Snow Patrol. Na sacada estava o DJ Matt Pinfield, o apresentador da noite, que introduziu a banda dizendo que considera os álbuns como “a trilha sonora de nossas vidas”. Não sei porque achei isso tão espantoso. O álbum anterior da banda, “Eyes Open”, foi o mais vendido no Reino Unido em 2006, e o single “Chasing Cars” ficou nas paradas britânicas por 85 semanas. Eles abriram shows pro U2, tocam em arenas, e o cover de “Run” de Leona Lewis atingiu o 1º lugar das paradas britânicas. Mas ainda não vimos fãs descontrolados nos EUA.
Aqui a banda é mais famosa por baladas do que pelo seu rock. Talvez seu 5º álbum, “A Hundred Million Suns”, possa mudar essa noção e talvez ainda ganhem novos fãs. Mas como o vocalista Gary Lightbody disse, “sucesso, pra gente, não tem a ver com venda de CDs, é quando você chega pra fazer um show e o lugar está cheio”. A julgar pelo show da semana passada no Bowery Ballroom, os considere de sucesso. O vocalista sentou comigo no início da semana para conversar sobre o último álbum e foi gentil o suficiente em não me chutar pra fora quando o botei na berlinda com nosso irreverente Pop Quiz.

Leia mais

set,
5
2009
Novos álbum e single

Entrevista que o Gary deu no V Festival, legendada em português. =)

PS: “Just Say Yes” é a música que o Gary escreveu para a álbum solo da Nicole Scherzinger, das Pussycat Dolls, que foi engavetado. As PCD gravaram a música, mas ela nunca foi lançada. Veja a letra aqui.

Leia mais

set,
4
2009
Entrevista para a HOTPRESS

Uma alma caridosa transcreveu o trecho de uma entrevista que o Gary deu para a HOTPRESS. Veja abaixo:

Gary LightbodyReworked tour:
Terão cerca de 18 a 20 pessoas no palco conosco, que é o máximo que já tivemos. Na verdade, menti, já nos apresentamos com um coral de crianças uma vez, mas isso é meio que trapaça.

Quem deu a idéia do conceito de ‘reworked’ (‘re-trabalhada’)?
Eu adoraria levar o crédito, mas na verdade veio de uma das sessões de “Little Noise” de Jo Whiley, em prol da caridade Mencap. Tinha uma vibe meio que “como você nunca viu”, nós desconstruímos as músicas e as construímos de novo usando instrumentos que não nos eram familiares, como órgão, cordas, sopro, glockenspieel. Foi muito divertido, então pensamos “vamos desenvolver isso e levar pra estrada”.

Leia mais

set,
4
2009
Gary falando sobre a Lisa Hannigan

Gary dando seu depoimento do porque a Lisa Hannigan deveria ganhar o prêmio Mercury. Veja aqui.
[não quer incorporar, vai o link, mesmo]

Tradução:
Acho que a primeira vez que prestei atenção na voz da Lisa foi no Witness Festival, que acabou virando o Oxegen Festival. Ela cantava com o Damien Rice na época. Sua voz é mágica, e ela cantando com o Damien é maravilhoso.
Obviamente o Damien é uma estrela, e pra muitas pessoas seria difícil sair da sombra dele, mas acho que ela é extraordinária, sua voz é incrível, suas letras são incríveis. Ela não é mais a “ex-parceira musical” de ninguém, ela é ela mesma.

Leia mais

Nosso Twitter
Nosso Facebook
Tuites da banda