Snow Patrol Brasil » Resenha: show em Boise
out,
18
2009
Resenha: show em Boise

“Você me completa,” brincou Gary Lightbody, o vocalista e guitarrista de cabelo bagunçado da banda escocesa e irlandesa Snow Patrol, com o espectador Alex Bow, no show no Knitting Factory, domingo passado.
Lightbody constantemente entretinha a platéia com piadas, monólogos e até mesmo críticas de moda, enquanto o Snow Patrol seguia com seu set de 15 músicas. Formado em 1994, o Snow Patrol ganhou sucesso internacional com 3 álbuns e inúmeros singles, incluindo o arrasa-quarteirão de 2006 “Chasing Cars”, que ficou famoso graças a Grey’s Anatomy. Seguindo o lançamento de “A Hundred Million Suns“, de 2008, o Snow Patrol fez de Boise sua 20ª parada na turnê por 25 cidades americanas.
[… falando sobre o Plain White T’s…]
Às 9 horas as luzes se apagaram e “Snow Patrol ama Boise” apareceu no telão atrás da bateria. A banda surgiu e imediatamente começou com “If There’s a Rocket, Tie me to it”. Um show de luzes neons verdes pontuaram o refrão. A dancinha de Lightbody lembrava o líder do Joy Division, Ian Curtis.
Seu forte sotaque irlandês ficou aparente na música seguinte, “Chocolate”, de 2004. O baixista Paul Wilson juntou-se a Lightbody nos vocais de “Hands Open”. A mudança da letra de “Chicago” para “Idaho” arrancou gritos da platéia.
O convidado para tocar violão Iain Archer juntou-se à banda em “How to be Dead”, de Final Straw. A batida do percursionista Jonny Quinn somada ao sintetizador do tecladista Tom Simpson mais as luzes dos holofotes foram o auge da assombrosa “The Golden Floor”. A voz de Lightbody, que antes estava abrupta e desigual, voltou à sua suavidade usual.
Depois da música, Lightbody notou o gorro de tricô de Bow, um estudante de Gooding. Depois de Lightbody o provocar por usar um chapéu tão quente lá dentro, Bow cedeu e tirou o chapéu, para o delírio da platéia, que ria. Como recompensa, Lightbody dedicou a ele a próxima música, “Run”, de 2004. O solo do guitarrista principal, Nathan Connolly, enfatizou a paixão da música.
“Shut Your Eyes” encerrou com uma participação da audiência de 10 minutos. “Podemos cantar juntos?” perguntou Lightbody. Ele fez a platéia cantar o mesmo verso várias vezes, cada vez aumentando mais o volume, o que chegou a um nível ensurdecedor de cacofonia. Durante a música, o chapéu de tricô cai no palco perto dos pés de Lightbody. “Vou guardar isso pra sempre,” ele disse a Bow enquanto brincava com as trancinhas penduradas nas abas que cobriam as orelhas.
O hit de Eyes Open, “Chasing Cars”, produziu um massivo coro cantando junto com a banda. Lightbody reparou que um membro da platéia o encarava durante a música. “Achei que a gente ia ter que resolver isso lá fora,” ele brincou depois.
Uma vista de uma cidade em movimento em preto e branco rolava na tela enquanto a banda encerrava o set com “Open Your Eyes”. O bis foi “The Lightning Strike”, um épico de 16 minutos dividido em 3 partes, com uma animação estilo IMAX sobre a jornada de uma nave ao espaço, feita de redemoinhos de galáxias e estrelas. A noite terminou com a obsessiva “You’re All I Have”, que combinou guitarras abafadas e doces backing vocals.
O amor do Snow Patrol por Boise surgiu novamente no telão enquanto a banda saía do palco, agradecendo e acenando para a multidão cativada.
Quando Bow foi ao show, mal poderia adivinhar que seria a estrela da noite. Ele disse que a decisão de jogar o chapéu no palco foi puro impulso. “Não tinha nada melhor pra fazer,” declarou.

Veja o scan com essa reportagem no jornal [em inglês].

Arbiter via The Third Bar

  • 19.10.2009 às 06:59 | Diana:

    sempre que eu leio esses depoimentos de pessoas q foram no show eu me imagino lá e dou muita risada hahaha… de mais 🙂


Comente:



Nosso Twitter
Nosso Facebook
Tuites da banda