Snow Patrol Brasil » Blog do Gary – Livros neles
out,
13
2009
Blog do Gary – Livros neles

Portland, Oregon. São quase 10 horas da noite. Estive na rua andando o dia inteiro, desde às 11, e dividi minha caminhada com um filme no meio.
“O Informante!” (“The Informant!”), já que você perguntou. O novo filme do Matt Damon e é muito bom. Ele vai ser indicado ao Oscar, grava o que estou dizendo. Não poderia estar mais longe de Jason Bourne nem se tivesse sido atirado por um canhão. Dizer qualquer coisa sobre ele acabaria contando tudo, então vou apesar dizer que vale à pena ver, imediatamente.
Portland é um dos meus lugares favoritos na América. Na verdade, essa parte da turnê na Costa Oeste é onde fazemos os shows que mais gosto e fico feliz de estarmos terminando a turnê na Costa Oeste dessa vez. Amanhã [NT: hoje!] é Portland, então Seattle, São Francisco/Oakland e, por fim, LA, que passei a gostar recentemente, desde que Garret (Jacknife Lee) se mudou para Malibu e venho passando muito mais tempo lá. Nunca gostei muito de LA mas conheci partes dela que nem sabia que existia (partes legais, partes sombrias, partes perigosas) e agora gosto de lá. Ainda meio incerto em relação a algumas pessoas, mas esse é um medo irracional de celebridades que não ligo se nunca resolver.
Então andei por Portland hoje. Inteira. Foi um dia bonito, frio e limpo. Tive aquela sensação de Natal de novo, mas não vou falar disso. Acho que quando o ar está gelado o suficiente para ligeiramente queimar meu nariz é quando começo a ficar com saudades de casa. Nos divertimos demais para ficarmos com saudades por muito tempo, mas às vezes ela bate e vai embora tão rápido quanto chegou.
Então, tenho notícias sobre Tired Pony e Listen… Tanks!. Ambos estarão terminados até o fim de janeiro. Já fiz alegações parecidas antes, mas dessa vez os estúdios já foram agendados. Voltarei a Portland para terminar Tired Pony no início do ano que vem. Espero que esteja tudo coberto de neve na época. Até agora, temos Garret Lee, Richard Colburn, Iain Archer, Miriam Kaufmann e eu na banda. Há outras duas pessoas, mas não vou dizer quem são ainda, porque estou animado demais a respeito deles, e como são pessoas ocupadas, eles podem dar pra trás por um motivo ou outro; então vou morder minha língua feliz por enquanto. Assim que entrarmos em estúdio e começarmos os trabalhos, revelo quem são.
Em relação a Listen…Tanks!, bem, somos só eu e Garret mesmo. Ele deu uma guinada louca recentemente (Garret e eu já gravamos um pouco mais), e já era meio louco desde o começo, então Deus sabe como vai terminar.
Tired Pony vem sendo classificado como country. Deixe-me só esclarecer que ele só tem uma pegada country, assim não havera nenhum desapontamento ou confusão quando ele sair e não soar como Waylon Jennings ou Gram Parsons.
A nova matéria da Qonline que acabei de escrever é sobre El Perro Del Mar e deve sair o site até o horário do almoço de amanhã [NT: hoje!]. Passei a segunda metade da minha longa caminhada ouvindo-a e à sua doce e perigosa voz. Dá pra ser doce e perigosa, certo? É uma mistura intoxicante, com certeza. É ainda mais perigosa justo por ser doce, na minha opinião.
Portland tem várias boas livrarias, mas a minha preferida é a Powell’s. Provavelmente minha livraria preferida no mundo todo. Poderia passar um dia todo lá. Uma vida, na verdade. De novo, vou direto no C e acho o estonteante livro de estréia de Bryan Charles, “Grab Onto me Tightly as if I Know the Way”, que é meu livro preferido de todos os tempos, e achei mais duas cópias hoje. Todo mundo que eu amo ganha uma cópia desse livro. Acho que já dei (tosse) Deus sabe quantas cópias, mas ninguém a quem dei nunca falou mal dele. Se você perdeu a primeira vez que falei sobre esse livro há um tempo atrás, então preste atenção agora. Vá à Amazon e se dê de presente. Se você gosta de música e já passou pela puberdade, então você vai se identificar com cada palavra dele.
Comprei vários outros livros, também, incluindo o segundo de Glen David Gold (que escreveu “Carter Beats The Devil”, que é ótimo), “Sunnyside”. As críticas dele têm sido próximas à euforia incontrolável. Começarei daí e aviso a vocês depois. Mas também, que merda entendo eu, não é?
Farei o máximo para postar toda semana, por enquanto, mas, como sempre, não vou escrever a não ser que eu tenha algo de útil a dizer a vocês.
Fiquem bem, elegantes e não no inferno [uma ‘riminha’: “Be well and swell and not in hell”]
g.xx


Comente:



Nosso Twitter
Nosso Facebook
Tuites da banda